Reflexão em Essência Compartilhada

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Sem titulo.


Quanto amor não bebi em teus lábios

Quanta fome não matei em teu corpo

Mas tuas palavras me furavam a alma

E mesmo saciado eu sangrava amor...

Hemorragia d'alma

Só restaram em mim algumas gotas

De um divino e reconstrutor amor próprio

Antes ter sede e fome de ti

Que ter a alma morrendo aos poucos.


Diogo Viana

Pesquisar este blog

Share |