Reflexão em Essência Compartilhada

domingo, 18 de maio de 2008

Sintonia

Admiração
De que encantos tu te cobres
Que minha alma se entrega sem reserva
Como se nela fosse sua morada?
De que encantos tu te cobres
Que faz com que o mundo se torne pequeno
E assim todos os danos da vida muito mais que amenos?

Tu que de mistérios te envolve
E apenas de leve me sorri
Mas com alma desnudante te vejo
Como se fosse parte do mais íntimo de mim
E só sei que me fazes sentir tua.

Tu que de vida te envolves
Me mostra de tudo que sei e sou capaz
Porque juntos não há mistério
Nada nos fica encoberto um do outro jamais

Tu que de encantos me cobres
Quanto te entregas sem reservas
Deixando-me de ti apenas
Todo instante puro sentimento nutrir

Catiaho Alcântara e Diogo Viana 09.17
Poesia e Parceria





Oscilante
A todo momento o vulto se esconde
Tenta em vão, mas pra mim eu sei que sorri
E da vida à seiva que a folha alimenta
E assim a vida se faz mais bela
Que a cor que a todos permite usufruir
E assim segue sem hesitar
Apenas seu canto a executar
Tudo é sempre tão belo
Tão pleno
Tão perfeito
Que o riso me volta boca
Que o brilho me torna aos olhos
E a seu viço sinto agora a retornar
E o vulto agora pela luz revelado
E com todos percebe-se compartilhado
Tudo tão de harmonia
Que a coisa boa dessa vida
Só eu,
Só você.
Somos nós,
Sós,
Simplesmente em nossa companhia.

Catiaho Alcantara e Diogo Viana 09.22
Poesia e Parceria


Agua
O som que escuto agora é como o barulho de águas
Águas que apenas seguem seu rumo seja descendo as cachoeiras
Ou as águas do mar surrando as pedras e buscando trazer um pouco da praia consigo.
Águas que matam a sede
Que limpam a pele ou que só fazem pensar
Porque a água tão limpa por nos se deixa sujar?
E depois assim passivamente se encontra com a terra
Se deixa reciclar e a todos ainda serve para purificar
A água me parece como alma que apenas segue seu caminho triste
que serve a quem dela se serve sem nunca se deixar de todo contaminar
E há sempre uma chance pro ser que por ela se deixa passar
Agua fria desperta o cansado
Lava as lágrimas da incessante jornada
E o mais importante é que lava o corpo
Mas é sempre o belo pensar que só água a sede sabe matar.
Quanto poder a água tem?
Quanto poder sobre nós...
Quanto poder sobre tudo...
Água viva...
Humano... quase em todo..
Água.

Catiaho Alcântara e Diogo Viana 09.55
Parceria e Poesia







Piscar de olhos
A noite passou como que em um piscar de olhos
Foi rápido como um tímido bocejar
Aquele que expressa toda vontade de se entregar
Sem dizer que se quer fazê-lo
De um momento pro outro o corpo se entrega
E passa o quanto conto não deseja estar
Os nervos se expandem e liberam
E libertam...
A vontade que o ser tem
E como não pode se esticar
Se expande e se deixa de vez sossegar
A vida parece escapar pelos dedos
E vai a outros seres contagiar
Assim é noite pra quem deseja a vida brindar
Porque se descansa um pouco
E muito mais se deixa embalar
Acorda e salta da cama
E logo passa ao gostoso bocejar
Se entrega, age, reage...
Isso é vida e sem senso o ser se deixa ficar


Catiaho Alcantara e Diogo Viana
Poesia e Parceria 09.58




Apenas...

Beije-me com intensidade que ainda não conheço...
Passa seus lábios nos meus com esta mesma intensidade
com que seu olhar atravessa-me a alma.
Dá-me seu colo como aquele abraço que até hoje ninguém ainda me deu.
E me deixa sentir tudo que ainda não sonhei poder ser meu.
Segura bem forte minha mão, me sinto perdida e sem chão.
Preciso desse doce amparo que nunca a vida me deu.
Faz-me sentir que o medo não existe e que minha esperança ainda não se perdeu.
Encanta-me com esse seu jeito tão terno que toda minha incerteza dilui...
Sem duvida hoje te peço socorro,
imploro que seja um renovo
e que eu volte a através de seus olhos sentir-me de novo capaz.
Esse é apenas um poema reflexo do meu mover
assim tão perdida sem direção.
Por isso peço assim sem medida...
que me beije com lábios bem quentes
e assim que só por um instante me tire do chão
e me mostre algo sem comparação.

Reflexo d’Alma e Poeta Eterno
Poesia e Parceia





Ser
Cada instante,
Cada ser,
Cada qual
Quem se é..
Se apresenta
Como ser diferente,
Difuso,
Confuso
Intruso ao alheio
Sentimento
Reticente
Convincente
Comovente
Contundente
São
Somos
Seremos
Seres
Sempre .


Diogo Viana e Catiaho Alcantara
Parceria e Poesia

Pesquisar este blog

Share |