Reflexão em Essência Compartilhada

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Cansei da paz sem efeito, jogo a toalha.



Me dei conta que não adianta
Apenas rimar flor com calor
Na verdade com nossa Poesia
Temos a responsabilidade
De causar reboliço, estrepolia


Função de Poeta bom
É desassossegar quem
Acha que pagar contas em dia
È que dá direitos de nariz em pé
Por  acharem os deveres cumpridos

Foi assim nessa tarde de 2a feira
Que resolvi me insubordinar
Deixar  a pose de boa Moça
E o sorriso amarelo de Poliana
E dizer que a vida esta errada

Quem trabalha duro tem direitos negados
Quem ama é deixado na soleira da porta
Os que gritam por justiça
Tem a boca amordaçada
Seja la como a Anastácia ou só coagida

Poesia é liberdade de ir e vir
De dizer e redizer o que ninguém
Se interessa ou quer ouvir
Todos se queixam do lixo nas redes sociais
Mas ninguém, deixa se de com elas se comprometer

A vida é esse caldeirão de efervescente
É esse misto de tudo com quase nada
E cada um escolhe seu próprio tempero
Eu vou alternando entre um grito e um suspiro
Um suspiro de atitude e um grito de prazer (ulalá)

Sem pestanejar
Jogo a toalha
Deixo a luta
Pra quem tiver
Mais estômago que eu

Pois meu negócio
E junto com o que me tem
Minha desavergonhada Poesia
Acompanhada de Amor e e servido de
Sexo sempre com muita Alegria

CatiahoAlc 363271022


Pesquisar este blog

Share |