Reflexão em Essência Compartilhada

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Apenas me deixo sentir... (Poema de 2008/Revendo Minha obra)



Uma nuvem leve e transparente encobre meu ser
É algo tão suave e tão bom que apenas me deixo ficar...
Pela mente apenas passam lembranças e sentimentos bons
Momentos que valem a pena serem lembrados
Que elevam e constroem.
Sim constroem pontes que me interligam a mim mesma
E assim os sonhos fluem e se tornam realizáveis.
As possibilidades de encanto são reais
Os desejos que eram apenas vontades
Agora tomam o controle e tudo se faz sensações.
E sinto
Sinto a mim, sinto você,
Sinto a vida, sinto essa brisa
sinto o cheiro do mar,
Sinto areia seca,sinto a areia molhada
Sinto as ondas,
Sinto a água que acaricia meus pés,
seus pés,
nossos pés.
E no meio dessa nuvem que aguça os sentidos
Apenas me deixo ficar
E me entrego a sentir
Apenas sentir....
Catiaho Alc./Reflexo d'Alma 
0856/2008

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Eu?? Só escrevo...


Não escrevo pra José
Muito menos  pra Maria
Escrevo pra quem
Tem alma
E gosta da minha Poesia
Escrever é como cantar
Parecido com o sonhar
Pois ao os olhos abrir
É só as palavras sentir
Poesia é como amar
É algo que vem da Alma
Transmite luz e calor
Enchendo a vida de 
Pura fantasia
Não  uso POesia
Como carapuças
Ou mensagem subliminar
Poesia é algo transparente
Espelho revelando a gente.
CatiahoAlc.

29 de julho de 206 10:32

domingo, 24 de julho de 2016

Chuva na Janela


Hoje o céu esta cinza quase chumbo
A água transparente e gelada
é derramada em pingos
Poças se formam e transbordam
fazendo veios rua a fora
Minha alma se encanta com o som dessa chuva
Com o ar que quente que embaça o vidro da janela
Os sentimentos diversos se misturam e
desejam também
Saírem de dentro do peito assim
Como as nuvens que vão levadas ao vento
Ou os pingos que caem e apressadas
correm...
O peito deseja soltar
os sentimentos
Mas num ato de renúncia
O suspiro os prende
E o peito lateja
A alma como que chora
Então uma lágrima foge pelo
canto do olho
E uma, e duas e muitas
Assim também fazem veios
que descem corpo a baixo
Mas nunca chegam ao chão
São contidas pela mão que as colhe
E as guardam apenas na lembrança
Do ímpeto de um momento
Só um momento...
De Liberdade Feliz.
CatiahoAlc.
171120070819


Texto integrante da obra Momentos Cristalizados
27 022008

Chuva na Janela


Hoje o céu esta cinza quase chumbo
A água transparente e gelada
é derramada em pingos
Poças se formam e transbordam
fazendo veios rua a fora
Minha alma se encanta com o som dessa chuva
Com o ar que quente que embaça o vidro da janela
Os sentimentos diversos se misturam e
desejam também
Saírem de dentro do peito assim
Como as nuvens que vão levadas ao vento
Ou os pingos que caem e apressadas
correm...
O peito deseja soltar
os sentimentos
Mas num ato de renúncia
O suspiro os prende
E o peito lateja
A alma como que chora
Então uma lágrima foge pelo
canto do olho
E uma, e duas e muitas
Assim também fazem veios
que descem corpo a baixo
Mas nunca chegam ao chão
São contidas pela mão que as colhe
E as guardam apenas na lembrança
Do ímpeto de um momento
Só um momento...
De Liberdade Feliz.
CatiahoAlc.
171120070819


Texto integrante da obra Momentos Cristalizados
27 022008

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Hoje só Absor Vendo o Viver entre Sonhos e Delírios




Não imaginava que um dia a busca que tanta apreensão me acompanhou  por cinco décadas
quase completas; fosse  cessar
 e não é que cessou?
Não guardei  em mim como dores, lembranças de infância ou de momentos difíceis que passei
durante  a jornada, mas guardava sim o desejo de que do buscar por reciprocidade natural em afe-
tividade, essa  me acompanhava dia a dia.
Me expus sim, porém não por pura e simples exposição  gratuita.  Essa era minha forma de sinalizar aos que encontrava pelo caminho o que buscava da vida.
Me mostrar frágil ou humana era o recado: Ei, preciso de abraço também!
Não funcionou, na verdade nunca em nenhuma vez funcionou.
Rendeu-me sim descaso,julgamentos errados, risos de zombaria e pior a ninguém sequer moveu em minha direção.
Ainda que não funcionando, não desisti nunca.
É ruim a falta de retorno ; é como amar pelo outro. Coisa que nunca me fez bem.
Mas chegou o dia em que 'o encontro aconteceu', através das palavras  escritas.

É bom sentir o carinho , o respeito e o amor em direção a mim e aos meus.
Absorvo e me entrego, sem reserva porque
é tudo que desejei.
Obrigado a vocês por me permitirem viver sem ter que me de fen der.
Com vocês me sinto em constante abraçar.
Os amo sem necessidade de ter que provar esse amor ou de esperar nada em troca.
É bom ABSOR VER   esse VIVER
entre Sonhos e Delírios
Catia  Helena
0852 de segunda dia 06 de agosto de 2012
de ago de 2012

Hoje só Absor vendo o Viver entre Sonhos e delírios





Não imaginava que um dia a busca que tanta apreensão me acompanhou  por cinco décadas
quase completas; fosse  cessar
 e não é que cessou?
Não guardei  em mim como dores, lembranças de infância ou de momentos difíceis que passei
durante  a jornada, mas guardava sim o desejo de que do buscar por reciprocidade natural em afe-
tividade, essa  me acompanhava dia a dia.
Me expus sim, porém não por pura e simples exposição  gratuita.  Essa era minha forma de sinalizar aos que encontrava pelo caminho o que buscava da vida.
Me mostrar frágil ou humana era o recado: Ei, preciso de abraço também!
Não funcionou, na verdade nunca em nenhuma vez funcionou.
Rendeu-me sim descaso,julgamentos errados, risos de zombaria e pior a ninguém sequer moveu em minha direção.
Ainda que não funcionando, não desisti nunca.
É ruim a falta de retorno ; é como amar pelo outro. Coisa que nunca me fez bem.
Mas chegou o dia em que 'o encontro aconteceu', através das palavras  escritas.

É bom sentir o carinho , o respeito e o amor em direção a mim e aos meus.
Absorvo e me entrego, sem reserva porque
é tudo que desejei.
Obrigado a vocês por me permitirem viver sem ter que me de fen der.
Com vocês me sinto em constante abraçar.
Os amo sem necessidade de ter que provar esse amor ou de esperar nada em troca.
É bom ABSOR VER   esse VIVER
entre Sonhos e Delírios
Catia  Helena
0852 de segunda dia 06 de agosto de 2012
de ago de 2012


sexta-feira, 29 de agosto de 2014

O Fio




O fio que te fez é o fio que me faz
Bem como o mesmo que nos refaz
 Enquanto em desejo um ao outro satisfaz

Este fio invisível
Em palavras indizíveis
 No coração em batimentos intraduzíveis

Eu que não busquei
Apenas enxerguei
 O que em palavras me ver fez

Sei quem sou
Sei ser possível por ser
 Quem é você que vejo ser

Catiaho Reflexo d’Alma 
0912011 2155 Porto Seguro

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Poesia pura Provoc ação


É assim sempre,
a poesia Provoca.
Convoca.
Evoca.
Isso enquanto traz revolução,
Seja na alma
 ou na mente.
Quando ela chega
tudo parece sem razão.
Poesia provoca.
Revoga.
Desfoca.
fatos, focos e citações.
Por isso, quando ela chegar;
não reaja.
Entregue- se
a inevitável e feliz
Provocação.




terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Com poesia Tudo é sempre encanto.


O vento passando na face
Tirando de  todo o disfarce
Encanta ao simples passante

Porém ninguém sabe de fato
Porquê desse ou daquele ato
Na  Alma de um passante

Bom é seguir sem pressa
Entregar em mãos a remessa
Dessa tal magia de nome poesia 

Tudo é sempre encanto
Poesia por todo canto
Sementes o vento derrama
Catiaho Alc.
entre sonhos e delírios

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Hoje e Sempre é tempo de Poesia



Nem se precisa estar feliz
Saber rimar 
Ou crer clima
Basta viver contente
Cuidar da vida da gente
Deixa a alma vagar
Enquanto escrevemos
Devagar
Não somente 
Todo dia é dia de Poesia
Mas sim todo tempo
É tempo de encantamento
De paixão
Seja com choro ou sorrisos
Na verdade
Na vida da gente
Poeta
Tudo sempre começa 
Ou acaba
Em pura e simples
Poesia

Catiaho Alc.
10322901014

Pesquisar este blog

Carregando...

Encantada Valter Poeta

(...)Às vezes sentava-me na rede, balançando-me com o livro no colo, sem tocá-lo, em êxtase puríssimo.
Não era mais uma menina com um livro: era uma mulher com seu amante.
Às vezes sentava-me na rede, balançando-me com o livro no colo, sem tocá-lo, em êxtase puríssimo.
Não era mais uma menina com um livro: era uma mulher com seu amante(...)
(...)Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar.
(...)"
Clarice Lispector

EU?Ahh...Só sou Apenas um Reflexo... uma Mulher...uma Poeta e Escritora e tenho a PALAVRA escrita minha voz. Tenho 3 blogs um para cada momento meu.Confiram : http://meusreflexoscontostextoseafins.blogspot.com/ http://ob-servandoeab-sorvendo.blogspot.com/ Mas sempre entre Sonhos e Delírios Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Uso comercial ou autoral vetado a terceiros. Uso derivado sujeito à autorização do autor.

Proteção anti-cópia

Meu Livro Novo:Inf somente pelo email:catiaho@hotmail.com

Meu Livro Novo:Inf somente pelo email:catiaho@hotmail.com

Perfil:Apenas Reflexo em forma de palavras

SOU COMO VOCÊS ME VEÊM ...OU QUEREM ME VER



Estar vivendo esta experiência de me mostrar aqui é algo muito complicado... Demorei 23 anos para a tomar consciência de mim, saber que tenho"um lugar" "o meu lugar"
Hoje sigo com minha familia que é minha base.
Hoje minhas mãos estão e sempre estarão estendidas para fazer a todos os que permitirem o que " estenda minhas mãos"; poois me fez falta que alguém assim agisse comigo.
Meu nome é Catiaho Alcantara (de Catia) .
Meu pseudônimo ""Reflexo d'Alma ""e minha escrita são uma tentativa de que todos olhem pra si mesmos de alguma forma.

Catiaho Alcantara

Clarice Lispector e Irving Wallace meus modelos para estudo da escrita nesse momento(http://www.claricelispector.com.br/) http://www.estantevirtual.com.br/buscaporautor/Irving%20Wallace)
Poeta Eterno(amo)
Pia Fraus(adoro)
Edson Marques(me encanta)

Share |