Reflexão em Essência Compartilhada

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Perdendo-se sempre

Ela se deu conta que se perde sempre,não importa o quanto segura de si esteja.Pois na hora em que menos espera pronto,lá se foi o bom momento e já perde a visão do horizonte que se mostrava nítido a poucos instantes.Coisa rápida de um piscar de olhos e pronto.Muitas coisas na vida são assim, até o sexo que é algo extraordinariamente incomparável; logo depois de saciado basta que as energias se refaçam pra que tudo tenha uma possibilidade de recomeçar.O sentir-se perdida que sente é algo assim;porque é como se já em quase oitenta por cento de uma caminhada voltasse ao ponto zero, como um simples piscar de olhos...
Mas a verdade é que anda um pouco descontente com essa forma em que as coisas acontecem.Andou ouvido muito sobre ser bom não dar muita importância e agir como se nada tivesse acontecido e seguir em frente, não importar-se com o que ou quem fica pra trás no caminho.Só que o observar mostra que não é algo tão fácil assim,por mais que tente não consegue não ligar...por isso apega-se ao essencial: Seguir perdendo-se um pouco de cada vez;um pouco aqui outro pouco acolá ;sem contudo nunca de si mesma.

Me perco em
pensamentos
de como o os seres não
entendem o ser?
Pois buscam tesouros
que estão a vista,
caminham calçados em pastos
verdejantes,
calçam botas para pisar
em flores.
Não entendo bocas que
proferem
palavras tão duras
e conseguem tão facilmente
dizer que amam.
Sei que não me cabe
questionar,
porém sei pisar
leve,
sei que boca também
serve pra
beijar
e mâos que
acariciam
também podem
amparar.
Será que eu sou desvariada,
néscia?
Ou será que somente
por ser poeta sei
que na vida
seguir em
frente
é que faz
o caminhar?
Reflexo d' Alma 1211090036

Pesquisar este blog

Share |