Reflexão em Essência Compartilhada

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

In coerência do Ser




Ando a perder
o tino, 
a lógica, 
o senso´
 com tanta
facilidade
chego  a me assustar....
Se caminho apenas paro
 sento e me ponho a olhar o mar
pode ser manhã
tarde ,
noite ou
 madrugada...
Paro pra não pensar em 
nada
em ninguém..
Apenas deixo a mente  vagar 
sem rumo
depois de tanto desejar
tanta coisa que simplesmente não veio.
Exausta de tentar
responder 
perguntas;
de pensar sem querer
no pra que disso tudo?
Desisti de  esperar pra
 me sentir
 amada, desejada  do meu jeito.
Cansei de querer, desejar ,esperar...
Nesse momento sou folha  ainda verde
solta ao léu

 levada pelo vento  daqui
pra pra ali
e acolá.
Sou

 minha
de mais ninguém.
Em pleno silêncio solto o grito
de liberdade que a tanto tempo mora em
 mim.
Ele segue e busca a
serenidade
que chega nos momentos de mais
 barulho
e tensão;
porém eu simplesmente
 no meio da frase, palavra ou grito
 me calo
aquietando
tudo que houver em mim...
A pele vibra
ao sentir
 a brisa
sensível  permitindo 
 que os pelos 
 tão frageis se erissem;
a respiração descompassando

o desejo 
aflorando
sem controle.
sem regra;

emoção.
Parece que esperar não mais me afeta
porque se o outro não vem
ainda sou eu
que importa.
Vou

seguindo meu
Instinto
exercitando
a excitação
tal qual virgem
diante de sua primeira vez...
tendo o poder
 de decidir.
Catiaho Reflexo d”Alma
                          em Tarde de paz comigo ouvindo João Donato 1635 de 04/01/09

Pesquisar este blog

Share |