Reflexão em Essência Compartilhada

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Vendaval de Delicias:DEU VONTADE DE REPOSTAR ESSE TEXTO QUE ADORO TER ESCRITO


Em silêncio não demonstra o que de fato acontece por dentro, sim lá nas entranhas.
Por lá; o sangue que ferve deixa a carne trêmula, os batimentos que de tão acelerados chegam a mover os seios que marcam a blusa de alças finas, deixando visível a excitação em que se encontra.Pelo corpo um tipo de calafrio percorre de alto a baixo enquanto gotículas de suor fogem acima dos lábios que secos é mordido vez por outra na tentativa de dissuadir o pensamento que lhe rouba totalmente a razão, fecha os olhos em devaneio absoluto, tanto que sentada se contorce levemente de tanto desejo.Por mais esforço que faça não pode mais conter-se.Nervosamente levanta , acende um cigarro absorve a fumaça com pressa, respira fundo, serve-se de uma dose gim, sacode a cabeça, olha para o cigarro, sorri gostosamente, apaga o cigarro amassando no cinzeiro de pedra, esfrega as mãos ainda mantém o sorriso de menina que esta prestes a cometer um desatino, dirige-se certo e reto ate onde ele se encontra sentado trabalhando absorto e desapercebido.Postando-se a sua frente toma de assalto o lugar do trabalho apossando-se daquela boca em um beijo que mais tem sabor de perdição e a cada instante mais intensamente o domina ate que perceba de vez que o que fato quer dele.Nesse misto de êxtase, hipnose e tato as roupas dela uma a uma vão sendo arrancadas e jogadas a ermo.Ainda sentado tem sobre o corpo dela que ávido se entrega ao mesmo tempo em que vasculha com a boca.As pernas fraquejam diante do desejo que urge, tomada nos braços entregue sem reserva levada para a cama onde apenas deseja explodir no êxtase máximo.Não tem voz, nem ação que não seja sentir e sentir ,entre sons que só os amantes entendem entre espasmos que só o prazer permite, falta pouco para o momento final... de súbito em fração de segundos são surpreendido por um barulho seco seguido pelo interfone insistente, isso antes da queda.Ainda tontos cegos tateando pelas ondas de desejo que os levou os ao vendaval de delicias não se importaram em não terem chego ao final, entre risos e exaustão cada um voltou a seus afazeres urgentes: ela ao banho para aplacar a fúria do corpo; ele atender o interfone de alguém que equivocado apertou no numero errado e depois? Depois entre gargalhadas consertarem juntos a cama que não resistira e cedera antes do momento final... depois de mais uma dose de gim a vida segue entre sonhos e delírios pois ambos já estão plenamente satisfeitos.
Catiaho Alcantara

Pesquisar este blog

Share |