Reflexão em Essência Compartilhada

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Refletindo sobre o céu e o tempo...

Um novo amigo me disse hoje em retorno em nosso dialogo: Não sei quem escreveu estes versos citados de memória:

"Quem te dá um relógio,
Esta cobra que te enlaça o pulso,
Te rouba um pedaço da Eternidade.
(Mais tarde ele me disse: O texto está numa antologia publicada nos anos 90 chamada Caixa de Prismas)

Simples céu a Observar

O céu que de azul se torna cinza revela as estrelas que agitadas cintilam, de posse do observar não há como perceber que o tempo passou... A lua chega soberana em seu convite ao amor de todos que dispostos se entregam. Não importa onde: se na areia, nos carros, em quartos legais ou em camas onde quem se entrega ao amor se torna com certeza rainha e rei.
E nessa magia infinita o tempo não espaço, as delícias não são contidas e a imaginação se solta de vez...
Nesse observar o céu é o universo que como num mapa, onde as marcas nada pode apagar.
Assim o azul que tornou cinza, fica prata e depois torna a, bem lentamente, clarear... são os raios do novo dia que não se detém e deixa-se pelos raios banhar assim anunciando nesse encanto. O que conta não é relógio que marca, mas sim o quanto é belo o simples céu "observar".

Reflexo d´Alma

Pesquisar este blog

Share |