Reflexão em Essência Compartilhada

sábado, 31 de outubro de 2009

Carinho que me chega como um abraço gostoso

Ouço, neste instante, Debussy. E lembro de repente de ti, poeta do meu coração.
Olho pela janela do meu quarto, enquanto isso, e vejo a avenida praticamente vazia - pouca gente, alguns namorados a passear de mãos dadas, sonhadores e indecisos quanto ao futuro (há futuro?). E a "Claire de Lune" a tocar no meu som.Penso na arte que é existir e tomo um susto de mim. Toco de leve no meu braço com a ponta dos dedos e me certifico de que estou em carne.
O tempo é fresco e eu me pergunto: "e agora?".
Agora é tentar descansar a mente para depois viver um novo dia.
A noite cai; sinto uma alegria mansa porque a minha mãe mastiga
com o olhar distraído, cálido e triste ao mesmo tempo.
É então que o divino me concede a esperança e eu adoro.
Beijos Rodrigo

Sabe Rodrigo, não tenho palavras pra retribuir esse afago.
Por isso pedi que permitisse expor.
Sou um ser carente desse tipo de demonstração afetiva,
que vem sem aviso
e que acalma minha alma.
Tenho por você um carinho que não ouso descrever,
apenas
sentir
guardar
e me aquietar...
entre sonhos e delirios

Pesquisar este blog

Share |