Reflexão em Essência Compartilhada

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Escrevo versos como quem respira.
Confesso,
confesso que quase nada me é tão essencial.
Busco reter a essência do sinto
e transcrever
sem rimas, sem metrica, sem pontuação .
Sem redeas.
Penso que o que sinto
não obedece a regras
ainda que me seja cobrado
não consigo que a gramatica seja
mais importante que a palavra.
Entedo que que haja tudo isso
mas não me dobro
e não me cobro
sem me reicinto s e o fazem.
Escrevo como amo
como quando me entrego ao gozo
plena
inteira
sem reserva.



Pesquisar este blog

Share |