Reflexão em Essência Compartilhada

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Dormir é tê- lo um pouco


Amar tem dessas coisas de saudade
Por mais que o outro perto esteja
Há um tempo em que a minima 
Ausência sentido com peso se faz
Nesse tempo que alma poeta
Sente, se ressente e o peito
Parecendo ferido se deixa doer
É tal da saudade
Que poeta diz ser como fome
Pior que  como fome é
Nada aplaca ou ameniza
A falta que faz perto
e que a todo momento
pelos cantos faz suspirar
eita coisa doída essa bendita falta
que faz o amor da gente

Reflexo d'Alma entre suspiros e delírios 
seg0042 0612012

Pesquisar este blog

Share |