Reflexão em Essência Compartilhada

domingo, 29 de abril de 2012

Poder Ser gente É...




Falar bobagem
Assumir as falhas
Fazer o que se sabe
Aprender o que puder

Ser gente é entender os sinais
Sorrir sem forçar
Gargalhar sem reserva
Sem receio do Pré julgar

Ser gente é ouvir o tic tac do relógio
É ouvir o sino da matriz 
Bem depois  que o cantar do galo
 Há muito já se fez

Ser gente é apertar a torneira
Beber sem medo de fazer besteira
É sentar na escada
Vendo a tarde que já se desfez

Ser gente é não prometer nada
Mas cumprir o anunciado
É mostrar a pele nua
Nesse escrito que desde ontem verso se fez

De ser gente não se abre mão
Quando em refugio seguro
A alma já livre só celebração em
Sonhos e delírios se refez...

Catia Helena 0742 de domingo 29 de abril de 2012


Pesquisar este blog

Share |