Reflexão em Essência Compartilhada

domingo, 24 de fevereiro de 2008

Desejo e Serpenteio

Estes dois textos são um misto do quero dizer e do que não quero.
Essa coisa de refletir é algo que nem sempre me revela o que gostaria,
porque me revela.
E confesso que me canso de ser solidária, me canso de ser alguém que ouve,
me canso de esperar seja lá o que seja,
me canso de entender....sempre...
Escrevi estes textos as duas da manhã e o primeiro teve a parceria do meu amigo
amigo de alma que sabe um pouquinho do que passa nesse meu ser.
Mas só um pouco porque não o sobrecarregaria com absolutamente tudo que me passa na alma, há coisas ele terá que ver em mim, outras atraves de mim e viver e outras que depois de mim mesma.
Mas o fato é que estou cansada, se sinto exausta dessa coisa que chamo sindrome de Poliana.
Alias amo o livro, amo a tese.
Mas essa coisa de que o sorriso na face e palavras amenas são mero positivimo teorico.
Há dias em que o melhor mesmo é mandar tudo e todos pro inferno...
chutar as cadeiras e subir em cima da mesa ...
e de lá sim resolver o que fazer...
olhando do alto as caras de perplexidade, o falso moralismo
e o ar de indignação enquanto por dentro pensam:
Putz porque não tenho essa coragem?
Mas no alto da mesa, no auge de nosso momento nós poetas nem sempre apenas
tiramos a roupa...
tiramos a roupa jogamos as mascaras em cima dos que estupefatos
nem percebem que ja tiraram as suas assim que nós viram subindo ... bem acho
que assim que nos viram, o que os deixa nus dinate daquele espelho que falo as vezes,
porque o melhor momento pra ficar nu é quandoestamos so dentro de n'so mesmos.
Dai não da para fugir de não reconhecer a noss sub humanidade.
Porque nos ver assim é ir alem das cicatrizes ou imperfeições da pele.
É ver nossa vergonhosa hipocrisia, nossa covardia , nosso proprio desamor
e o pior muitas vezes é ver as correntes que carregamos....por pura falta de coragem
de sermos livres.
Eu poeta hoje nua sem dirfarses para mim mesma ,
em cima dessa mesa chamada minha vida
Me assumo e grito aos ventos convidando
a quem me ouvir ou a que prestar atenção na minha
simbologia que não resistam e se libertem de voces mesmos
e deixem essas correntes para o alguem do ramo ,
qualquer encontrar ao acaso
pegar e vender ali no ferro ......
velho da esquina...


Hoje quero postar aqui algo diferente
Algo que me fale e que me revele gente
Tenho absorvido tanta coisa que as vezes nem demonstro.
Mas hoje quero ser a força da água de uma cachoeira
Quero ser a regularidade das ondas do mar
E refletir o brilho de cada estrela reverenciando a lua
Tambem penso em ser o sol
que sendo um enche toda a terra com seu brilho
e intenso calor.
Mas meu desejo mesmo
é sentir em mim todas as essências
Eu quero tanta coisa hoje...
Mas desejo ainda acima do meu proprio desejar
Que o Sol nasça alem do meu tempo,
Alem do meu sorriso,
alem do meu refletir,
do meu tatear por essa estrada...
Desejo somente o desejar,
porque é o que me mantem ...viva e diria humana,
O que me estabelece , me restabelece
E me firma enquanto ser.

Catiaho Alcantara e Diogo Viana 01.56


Hoje quero postar aqui algo diferente
Algo que me fale e que me revele gente
Tenho absorvido tanta coisa que as vezes nem demonstro.
Mas hoje quero ser a força da água de uma cachoeira
Quero ser a regularidade das ondas do mar
E refletir o brilho de cada estrela reverenciando a lua
Tambem penso em ser o sol
que sendo um enche toda a terra com seu brilho
e intenso calor.
Mas meu desejo mesmo
é sentir em mim todas as essências
Eu quero tanta coisa hoje...
Mas desejo ainda acima do meu proprio desejar
Que o Sol nasça alem do meu tempo,
Alem do meu sorriso,
alem do meu refletir,
do meu tatear por essa estrada...
Desejo somente o desejar,
porque é o que me mantem ...viva e diria humana,
O que me estabelece , me restabelece
E me firma enquanto ser.
Catiaho Alcantara 01.56


Serpenteio nas sensações
Cada momento algo diferente
Cada instante um ponto errante
Corro, pulo e sapateio
Corro de mim porque tenho medo
Pulo todos os obstáculos
Sapateio em cima das duvidas e incertezas
Eu canto, danço e faço festa
Canto porque sou so poesia
Danço porque é minha fantasia
E faço festa porque amo sem limites
Sonho, idealizo e realizo
Sonho de olhos abertos
Idealizo todo meu viver
Realizo por que não sei sonhar e não realizar.
Por isso
Serpenteio nas sensações
Exercendo minha liberdade de sonhar e de viver.
Catiaho Alcantara 01.43

Pesquisar este blog

Share |