Reflexão em Essência Compartilhada

terça-feira, 13 de maio de 2008

Resumo de um dia

Meu corpo
Meu corpo tão lactente hoje guardasmarcas de quem já fui
Já fui um feto renegado
Um bebe quase deixado
Mas logo a vida me tornou uma criança como todas.
Guardei em meu universo todas as scoisas do meu mundo.
Já maior ganhei no corpo as marcas da violência
E da família a quase demência.
E eu menina tão triste no corpo guardava esperanças
Eram elas assim tão tamanhas que de mim afastava m a dor tão medonha.
E assim ainda com o corpo lactente sigo a vida em frente
E agora mulher me dou conta
Que carrego em mim não o mundo
Mas sim o desejo profundo ir tudo mudando
Plantando sementes palavras
Deixando que brotem e floresçam
E agora meu corpo carrega junto às marcas da vida
As marcas do encanto da lida que quem encontrou a guarita
E segue o caminho feliz.
Catiaho Alcantara









Eis o Cristo(poema inspirado na tela de Rapahel)
Eis que o Corcovado imponente
De braços abertos recebe a toda gente
Não se importa com credo raça ou cor.
Ali em nunca nada dizer
Sua calma e essência dividem com todo ser
Que por ali passa, ou simplesmente o vê
E o Cristo é visto de cima
De quem com alma limpa
O olha sem medo ou rancor
Porque o Cristo é beleza importante
Simbolismo quieto e constante
Na visão desse belo artista
Ele se mostra em tons de cinza
Que aplaca a emoções
Desperta as percepções
E dentro do peito cala e guarda a impressões
Quem se impacta e se acalma
Porque a arte do Cristo a plena paz se compara.
Catiaho Alcantara
Poesia e Parceria
13/05/08 10.41

Pesquisar este blog

Share |