Reflexão em Essência Compartilhada

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Parceria e Poesia com Diogo Viana

Seres, não olhem meu rosto.
Quero arranhar a cara...
Morder a língua
que silenciosamente
se desfaz na boca.
Quero meus lábios secos
os pés descalços
quero a voz rouca.
Quero que a escrita eco
e que a voz cale
que a garganta arranhe
que a criança não olhe...
Nem fale.
Quero, desejo, faço,
Visto, sinto, alerto...
Quero capa que me cubra
quero olhar que interrogue
que não veja que não rogue nem peça.
Quero...
Quero que me olhem os olhos
o corpo todo decomposto
menos o coração e a mão
Não olhem meu rosto!!!
Diogo Viana

Pesquisar este blog

Share |