Reflexão em Essência Compartilhada

segunda-feira, 17 de maio de 2010

O pouco do melhor de mim

 Diante da vida e do que sinto quero neste post fazer um carinho na direção de alguém que é importante pra mim hoje.
Conhecemos muita gente nesse mundo das artes, mais ainda nesse universo chamado poesia. De uma forma magica tenho a sorte e o privilégio de conhecer um ser autêntico,que não mede  palavras ao se expressar e me parece que em nada que faz na vida, alguém sem meias palavras.Da mesma forma que eu  não me envergonho de dizer publicamente o que sinto,se sinto. E por isso dedico meus melhores versos de toda vida.Foram esses  meus primeiros versos em 1997.Ainda sem me saber poeta,virgem de noção de minha capacidade  criativa e poética em dias de surtos e delirantes como nos que passo nos últimos dias. Confesso-me virgem em muitos outros aspectos da vida e talvez nunca deixe de ser em outros.Hoje  dedico a você querido amigo Guara Matos com carinho esse versos ; simbolista que sou tenho como marco e e parte do melhor de mim.

Pequenos rostos

São tantos pequenos rostos
     São tantos pequenos traços
       São tantos infindos poros
          São rostos alegres ou tristes
              São traços de amor ou ódio
São poros que exalam os odores da vida
São rostos
     São traços
        São poros
           Visíveis
              Presumíveis.
Mas os corações são mistérios enterrados
E as almas prisioneiras invisíveis.
Ah!
    Se...
       Se... se pudesse trazer à tona
            Os corações e as almas...
               E torná-las visíveis
                  Presumíveis
                     Então o mundo seria diferente
                                      Feliz.
                                 Com rostos e traços
                                     Trazendo pelos poros
                                        O restante do bendito
                                                  Hálito da vida.
                            Então...

                              Seriam...
                                  Muitos rostos felizes!
                                         Muitas almas cristalinas
                                              Muitos traços
                                                    Realçados
                                                       Trans... pi... ran... do
                                                           Res... pi... ran... do
                                                                    VIDA!

------

Não...

Não tenha medo de refletir
Não o refletir, pensar, ponderar.
Mas o refletir repetir, transparecer, rebater,
Como acontece no espelho...
Onde nos projetamos e nos...
               Es... pa...lha...mos...
                     E nos tornamos dois exatamente iguais.
                        E se... o vidro quebra
                           É... pedaço pra todo lado
    Não.
        Não...
            Não!


            Não tenha medo de refletir
                De se dividir com alguém.
                  Não só se dividir se projetando em pequenos pedaços
           Se tornando pequenas cópias de si mesmo.
              Mas dividindo o espaço pequeno,
                  Sendo generoso consigo,
                     Com o outro...
          Não tenha medo...
                Refletindo consigo, comigo...
                          Refletindo... Refletindo...
                                              Refletindo... Refletindo...
----



 

Só... só... só...
     Estou só, mas não sozinho.
         Estou só, sem laços hipócritas que embaracem
            meu caminho.
Só... só... só.
         Estou só, mas não estou abandonado.
              Estou só, mas cercado por ideais possíveis.
                 Só... só... só.
Estou só, sinto a solidão que trás consigo a liberdade.
      Estou só, mas detenho em mim o direito de ir e vir.
          Só... só... só.
                Estou só e determino os traços do meu caminho.
                    Estou só, mas muito perto de mim.
                      Estou só, mas cercado do que desejo pra mim.
Só...
      Bendita...
            Só...
                li...
                      dão.
----


Lembranças e saudades

Me lembro dos dias vazios
        Das noites escuras
             Do pé no caminho...
                 Me lembro do grito distante,
Dos ventos errantes
      Cantando sozinho.
           Me lembro dos sonhos sonhados
              Da brisa no rosto
                   Do futuro bem vindo.
                      Hoje as lembranças são saudades
                         Da tenra idade
                               Do ontem que se perdeu...
Catiaho Alcantara 

textos parte da Obra Reflexo d' Alma lançado em 23 de  Janeiro de 2010

Pesquisar este blog

Share |